• laminadoraprolam2
  • laminacao em foco prolam
  • Multiplique novo anuncio prolam
  • BNDES e Prolam
  • a1home
  • banner 8
  • expoprint 2017
  • prolam premio 2017 graphprint
  • aceitamos cartoes prolam
  • Prolam novo endereo Recife

Descubra como implementar esta novidade.

Por Eduardo Pereira Gerente de Marketing da Digigraf

Antes de tudo é preciso separar em dois mundos o universo de impressoras digitais: O mundo Toner e o Mundo Tinta, para entender as principais diferenças que existem entre estas duas tecnologias.

O processo de impressão à base de toner utiliza partículas sólidas para compor as imagens, e o processo de fixação ou ancoragem destas partículas sobre o substrato é feito através de um mecanismo chamado Fusão.

Depois da imagem já formada sobre o substrato dentro da impressora, este mecanismo que fica na saída e é conhecido como fusor, funde as partículas de toner através da elevação da temperatura e em seguida as pressiona contra o substrato através de uma calandra a fim de realizar a secagem no processo.

Para evitar que as partículas de toner fiquem retidas, ou grudadas na calandra, alguns fabricantes de impressoras lubrificam as partículas de toner com componentes graxos, como óleos ou silicone, e em alguns casos a aplicação deste silicone é feita mesmo após a fusão para dar um aspecto brilhante na impressão. Com este detalhe, os componentes graxos utilizados neste processo de impressão que são desmoldantes naturais repelem ou dificultam a possibilidade de cobertura de qualquer tipo de acabamento gráfico.

Nos casos de termo laminação sobre impressão a toner a situação é exatamente esta, para agredir o termo adesivo que se encontra em estado sólido a calandra de uma termo laminadora aquece o filme a uma temperatura aproximada de 120º C, com isto, as partículas de toner que se encontram na superfície do impresso tornam a se fundir, podendo provocar estragos ou borrões na impressão.

Isto pode ocorrer porque mesmo após o processo de fusão feito pelas impressoras, o impresso sai com uma camada espessa de toner que fica na superfície do substrato.

A Solução

No mundo tinta a história é diferente. No processo de impressão Offset Digital, que é exclusivo das impressoras HP Indigo Press os resultados obtidos nos testes feitos com aplicação de filmes Bopp Prolam® pelo processo de termo laminação são idênticos aos produzidos no processo Offset convencional.

As impressoras Offset Digitais HP Índigo não só utilizam tinta líquida na impressão como também transferem a tinta para o substrato de uma forma muito semelhante a do processo convencional. A tinta aplicada permite obter uma espessura sobre o substrato até 10 ou 15 vezes menor que a de uma partícula de toner, portanto permite ser aquecida e calandrada pelas termo laminadoras sem alterações de superfície da tinta aplicada.

Em testes realizados na empresa Lamimax Acabamentos com filmes Bopp fornecidos pela Prolam®, a impressão Offset digital mostrou-se perfeitamente adaptada para receber não só o acabamento dos filmes de termo laminação, como também para a aplicação de verniz com UV localizado sobre os filmes.

Estes testes demonstraram uma perfeita adesão do filme a superfície dos substratos laminados, ressaltando a beleza dos impressos, possibilitando diferentes apresentações, bem como conferindo maior proteção a rasgos e riscos, além de ganho de espessura final.

Portanto, quando perguntado se é possível aplicar termo laminação nos impressos produzidos digitalmente a resposta é: depende. Depende da tecnologia de impressão que os impressos foram produzidos. Se tiverem sido impressos em equipamentos HP Indigo press a resposta será sempre que sim, é possível.

Termolaminação uma aliada da Tecnologia Digital

O processo de termo laminação, ou seja, laminação a quente, é um importante aliado da industria gráfica para agregar beleza, qualidade e valor ao material impresso.

Segundo Marcos Marcello, diretor da Prolam®, líder em fornecimento de filmes Bopp para termo laminação no Brasil, a característica de produção do processo térmico permite rápidos acertos para set up de máquinas e custos mais competitivos para pequenas tiragens (até 5000 folhas), atendendo assim às necessidades de parte das empresas que vendem impressão digital. Além de tudo a Prolam® que fornece sua linha de filmes para as gráficas que já possuem os equipamentos de termo laminação, também possui uma rede de parceiros prestadores serviços de acabamentos gráficos espalhados de norte a sul do país que poderá atender aqueles que desejam incorporar o processo a seu portfolio - completou.

A Prolam® comercializa uma linha de filmes para termo laminação que contempla diferentes apresentações que podem agregar ainda mais valor ao impresso digital. Além dos consagrados filmes Alto brilho e Fosco, é possível termo laminar os impressos produzidos na HP Indigo press com os filmes Prata, 3D pedras e 3D janelas.

Segundo Arthur Machado Filho, Diretor da empresa Lamimax, que há mais de vinte anos presta serviços de termo laminação e aplicação de verniz UV em São Paulo, o custo para laminar um metro quadrado de impressão com filme Fosco da Prolam gira próximo a R$1 e a Alto Brilho a R$0,80.